terça-feira, 12 de Agosto de 2014

Thank you, my dear Captain!

"Most men lead lives of quiet desperation." Don't be resigned to that. Break out!
- John Keating played by Robin Williams (1951-2014)in Dead Poets Society

segunda-feira, 28 de Julho de 2014

qualquer dia mudo de vida

farta, fartinha de imbecilidade... mais umas férias sem descanso. Só porque quem devia fazer não faz e tem prazer em lixar os outros. Faz disso a razão da sua vida. Ora vão mazé ... chatear outro. Cambada.

segunda-feira, 21 de Julho de 2014

a vida de Filinto

Era uma vez um menino chamado Filinto. Cara afiada, olhos pestanudos e esbugalhados do choro compulsivo e pungente. Cheio de ranho e lágrimas. Voz esganiçada, mas bem colocada, convenientemente entrecortada pelos soluços. Bem audível nas queixinhas dos colegas e do irmão mais velho, que ficava com o rabo a arder dos açoites pelos vidros da janela, que não partiu, o candeeiro da sala, que não fez cair, a televisão, que não estragou, os brinquedos, que não desmanchou, a roupa, que não rasgou... Só os professores não passavam a mão na cabeça do Filinto, que lhes limava a paciência.
E o Filinto cresceu. Fez-se corpo de homem. A cara ainda é afiada e os olhos esbugalhados, mas já não grita. Agora sussurra, de rabo espichado, espiando os colegas e os vizinhos. O que está bem, para ele está sempre mal e só ele é que sabe. Gosta de avaliar. Julgar. Ditar. Escolher. Depois é vê-lo de espinha curvada em 90 graus quando fala com o chefe. Mãos postas em oração e voz pausada e aduladora, fazendo queixinhas. Fez-se corpo de homem com mérito na mediocridade. Assim é o Filinto.
Qualquer dia chega a ministro.

domingo, 20 de Julho de 2014

estou a ver

"Camaradas" de outros tempos e talvez por isso mesmo aqui está uma visão sem dioptrias sobre o que é a democracia à portuguesa.

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/voltamos-a-moralidade-ou-a-falta-dela-1663486?page=-1

domingo, 6 de Julho de 2014

Os negócios da educação - parte 2

E a saga prosegue. Desta vez os que nos (des)governam apoderam-se e dividem o espólio entre si... e para si.

Em altura de balanço do ano letivo... e na proximação das férias obrigatórias de Agosto e assim apostando na ausência física de qualquer oposição, avança, tipo bulldozer, a terraplanagem, desculpem, a municipalização dos estabelecimentos de ensino em alguns municipios-piloto (só para ver se é lucrativo que baste, antes de se aplicar ao resto).

E aqui temos o modelo (solicita-se especial atenção à folha 3)com a operacionalização da eficiência a traduzir-se na "partilha" de 50% dos salários de professores desempregados entre os ("patrões") que os vão despedir (o MEC e a Câmara Municipal). Estou sem palavras... para qualificar esta canalhice.

Só aqui já está uma parte do negócio. Aproximadamente 2,5 Milhões de euros (pelos dados das folhas 5 e 3, neste caso concreto).

A outra parte igualmente ou até mais apetecível é a contratação direta pelos municipios dos docentes, funcionários, técnicos superiores, e outros operacionais, serviços de limpeza, transportes, de catering e com equipamentos como computadores/ fotocopiadoras, e toda a parafernália de serviços que possam vir a ser considerados necessários para o "bom" funcionamento dos agrupamentos escolares até mesmo em sistema de "out-sourcing" e que possam permitir o "bom" exercicio do caciquismo local e eternilização das elitezecas partidárias.

E assim vamos cantando e rindo, falando de "confiança", "eficácia e eficiência", "transparência", "boa gestão", porque com PALAVRAS E BOLOS SE ENGANAM OS TOLOS.

Vou só ali beber uma aguinha com gás... que tenho o estômago às voltas.

terça-feira, 24 de Junho de 2014

Ainda falta....

.. um bocadinho para fazer as malas. Só um bocadinho mais.

sábado, 24 de Maio de 2014

Os negócios da educação - parte 1

Isto está bonito está. Só para não dizeram que "ai e tal... não fazia ideia" quando o mundo virar 180 graus.
http://www.publico.pt/sociedade/noticia/um-chequeensino-igual-para-todos-poderia-gerar-algumas-distorcoes-no-sistema-1637203

Ai está em letra de imprensa. Preto no branco. O que se sussurrrava de rabo espichado já se grita em alto e bom som e de peito inflamado. Pela qualidade do ensino. Claro! Qualidade para quem? Ora ora dos mesmos de sempre. A novidade é que já se adiantam numeros... 85 mil por turma. 85 mil euros claro. Assim só para marcar posição na negociação (que há muito começou, não sejamos ingénuos).

Quanto aos que poderiamos pensar estar ainda envolvidos na equação como por exemplo, alunos/ professores/ pais, etc. e tal... isso não interessa nada. A equação há muito tempo que é outra e o seu produto são muitos $$$$$$$$$$$$$$$$$$. Muitos mesmo.