quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Os ridiculos

É sempre interessante observar o ridiculo a que se expoem certas criaturas cuja função parece ser apenas achincalhar o trabalho e o esforço dos outros. De mérito nada se lhes conhece nem reconhece. Em comum estão sempre perto da malga governativa central, regional ou local.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

glamour hollywoodesco


Depois de tanto tempo sem aqui escrever. Só mesmo um bom conjunto de vestidos para me tentar... Estamos em plena award season por terras americanas, o que significa um desfile quase interminável de vaidades. Ao melhor estilo hollywoodesco.




Anna Kendrick em Monique Lhuillier. Certinho, vaporoso, chique...


Diane Krugger, simples, clássico. Até parece fácil. Um espanto.


Emily Blunt em Michael Kors. Sexy sem revelar demais, lembrando Monroe mas sem o ordinário. Os brincos lindos lindos!!!


Heidi Klum em Versace. Apesar de ter muita informação com as diferentes texturas e assimetrias a mulher veste o vestido e não contrário. Não é para qualquer uma!


Reese Witherspoon em Calvin Klein. Já muito visto. Mas resulta. E pronto.

Taylor Schilling em Ralph Lauren

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

transformar objectos #1

A ideia de transformar objectos, dar-lhes uma nova vida é fantástica. Insere-se num modo de pensar novo, ecológico e económico, onde o bom senso deve prevalecer em todas as decisões/ aquisições que fazemos. Trata-se de poupar. Poupar dinheiro mas sobretudo poupar recursos.


De umas arcas velhas em palhinha (já um pouco sujas) se fizeram duas mesas de apoio com arrumação. Com um look descontraído, ideais para a casa de praia.

1º limpar (um pano húmido com água e detergente de loiça)


2º pintar com trincha larga usando tinta branca acrílica com base de água.


3º Limpar o excesso de tinta com papel absorvente (papel de cozinha, por exemplo). E depois da tinta branca estar seca aplicar verniz transparente mate com base de água. As grandes vantagens de pintar com tinta e verniz com base de água: menos cheiro; seca mais rápido; todos os acessórios usados (trinchas, tabuleiros) podem ser lavados com água.


O resultado final. Voilá!

domingo, 31 de agosto de 2014

Sol

Impressionante... como o sol nos vê.

Um grande alerta sobre a importância de proteger a nossa pele. Todo o ano. Todos os dias.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Thank you, my dear Captain!

"Most men lead lives of quiet desperation." Don't be resigned to that. Break out!
- John Keating played by Robin Williams (1951-2014)in Dead Poets Society

segunda-feira, 28 de julho de 2014

qualquer dia mudo de vida

farta, fartinha de imbecilidade... mais umas férias sem descanso. Só porque quem devia fazer não faz e tem prazer em lixar os outros. Faz disso a razão da sua vida. Ora vão mazé ... chatear outro. Cambada.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

a vida de Filinto

Era uma vez um menino chamado Filinto. Cara afiada, olhos pestanudos e esbugalhados do choro compulsivo e pungente. Cheio de ranho e lágrimas. Voz esganiçada, mas bem colocada, convenientemente entrecortada pelos soluços. Bem audível nas queixinhas dos colegas e do irmão mais velho, que ficava com o rabo a arder dos açoites pelos vidros da janela, que não partiu, o candeeiro da sala, que não fez cair, a televisão, que não estragou, os brinquedos, que não desmanchou, a roupa, que não rasgou... Só os professores não passavam a mão na cabeça do Filinto, que lhes limava a paciência.
E o Filinto cresceu. Fez-se corpo de homem. A cara ainda é afiada e os olhos esbugalhados, mas já não grita. Agora sussurra, de rabo espichado, espiando os colegas e os vizinhos. O que está bem, para ele está sempre mal e só ele é que sabe. Gosta de avaliar. Julgar. Ditar. Escolher. Depois é vê-lo de espinha curvada em 90 graus quando fala com o chefe. Mãos postas em oração e voz pausada e aduladora, fazendo queixinhas. Fez-se corpo de homem com mérito na mediocridade. Assim é o Filinto.
Qualquer dia chega a ministro.